23 abril 2018

União com o Pai

“As obras do Filho decorrem de sua inefável união com o Pai, são sua expressão viva e vivo testemunho. ‘Se não faço as obras do meu Pai, não me creiais. Mas se as faço, mesmo que não me quisésseis crer, credes em minhas obras, a fim de que saibais e conheçais que o Pai está em mim e que estou no Pai’ (Jo 10,37-38).”

(Vozes, 1959) pág. 24

16 abril 2018

Crescer no conhecimento e no amor

“Se amamos o Santíssimo Sacramento e se nos comprazemos em passar o nosso tempo na adoração desse formidável mistério de amor, não podemos deixar de procurar aprofundar cada vez mais a caridade de Cristo. Não podemos tampouco deixar de chegar a um conhecimento íntimo e pessoal de Jesus oculto sob os véus sacramentais. Entretanto, à medida que crescemos no conhecimento e no amor dele, necessariamente aumentará o nosso conhecimento do amor que Ele tem por nós. Chegamos a compreender cada vez melhor com que seriedade Jesus quer que tomemos o seu ‘mandamento novo’ de nos amarmos uns aos outros como Ele nos amou.”

(Vozes, 1963) pág. 162

09 abril 2018

Ressurreição e o mistério da cruz

A ressurreição de Cristo é, portanto, o coração da fé cristã. Sem ela, a morte de Jesus na cruz não passa de uma tragédia do homem honesto – a morte de um Sócrates judeu. Sem a ressurreição, o ensinamento de Jesus é simplesmente uma coleção de fragmentos incoerentes, com uma vaga referência moral. Os Evangelhos perdem o principal do seu sentido.
(…)
Quem pretende penetrar no coração do cristianismo e aí beber das águas vivas que trazem alegria à cidade de Deus (cf. Sl 45,5), deve entrar nesse mistério. E o mistério da ressurreição é simplesmente a consumação do mistério da cruz.


(Verus, 2003) pág. 160 e 161


02 abril 2018

Merton no Brasil?

Qual não foi nossa alegria ao recebermos, em março de 1968, numa carta em que mais uma vez indicava o dia em que celebraria a missa por nós e por todos os seus amigos brasileiros, esta boa notícia: “É possível que, com a autorização de nosso novo jovem Abade, eu possa visitar o Brasil… Mas se isso puder ser feito de maneira muito discreta, sem publicidade e sem que eu tenha que falar em público, etc. É possível que eu possa viajar para visitar comunidades e encontrar-me com pessoas, sem no entanto envolver-me em nada de público. Isso depende, porém, de muitas outras coisas. Reze por essas intenções”.

Ir. Maria Emmanuel de Souza e Silva, OSB
(Vozes, 2003) pág. 56

26 março 2018

Semana Santa

(...) o mistério da Páscoa não é celebrado apenas na Páscoa, mas todos os dias do ano, porque a Missa é o mistério Pascal. O Tempo da Paixão, a Semana Santa, a Páscoa e os “cinquenta dias santificados” do ciclo pascal culminando na celebração de Pentecostes concorreram para desdobrar os Mistério Pascal diante de nós no tempo, em todos os seus pormenores. Todavia, a plenitude da Sexta-feira Santa, Páscoa e Pentecostes também se condensa no ritmo da Missa cotidiana. Pois, todas as vezes que participamos dos Sagrados Mistérios, a Pascha Domini (a Passagem do Senhor), morremos com Cristo, com Ele ressuscitamos e d’Ele recebemos o Espírito da Promessa que nos transforma e nos une ao Pai, no Filho e através d’Ele.

(Vozes, 1968) pág. 147 e 148