07 setembro 2004

Diálogos com o silêncio


Thomas Merton amava a vida com a paixão de um poeta romântico. Aos 26 anos de idade, ele resolveu tornar-se monge trapista e começou a seguir sua última paixão que durou sua vida toda. A partir da sua moradia austera no mosteiro de Nossa Senhora de Gethsemani, em Kentucky, Merton trabalhou para mudar a sociedade e para chegar mais perto de Deus. Os desenhos e orações desse livro são um belo testemunho do seu itinerário íntimo - o diálogo de Merton com Deus. As orações foram recolhidas de todas as obras de Merton - seus livros diários e cartas - e são apresentadas no livro junto com seus desenhos bastante desconhecidos, pela primeira vez. Os desenhos mostram a evolução da arte de Merton desde a simples representação até os mais abstratos, nos quais se reflete seu interesse pelo Zen e pelas culturas orientais. 'Diálogos com o Silêncio' convida o leitor a entrar nesse clima sagrado de contemplação onde escutamos em silêncio, aguardando a presença divina em nossas vidas, onde o vazio se torna a conjuntura para o intercâmbio entre o mundo exterior e interior, onde a escuridão se transforma em luz - o lugar onde se revela a voz de Deus.

As  5 postagens abaixo fazem menção a esta belíssima obra:

Um comentário:

Amália Ruth Borges Schmidt disse...

Permitam-me partilhar com os irmãos a profundidade e a riqueza que encontrei no prefácio de Dom Francisco Pascual OCSO, que assinou a Introdução da edição em espanhol e fez a tradução do livro. Vejam o que diz : “os desenhos de Merton devem ser contemplados com atenção total..ao traduzir as orações meus olhos se deslocavam para as imagens, via para além delas um Merton total, só parcialmente visível nos escritos. Os traços não só revelam uma herança estética recebida dos pais, como refletem o despojamento afetivo a que Merton foi submetido toda a vida...” Com Dom Pascual descobri sentimentos contrastantes nos traços desenhados: a singeleza, a tristeza, o vazio e a plenitude, que só a profundidade interior do nosso monge podiam nos oferecer. Amalia Ruth